Revolução Francesa

A revolução Francesa
A frança era um país absolutista, de extrema injustiça social, onde a democracia estava em escassez. O topo da pirâmide social era comandado pelo clero, onde familías, parentes, aliados do rei viviam uma vida luxuosa. Do outro lado da pirâmide, estava os trabalhadores e camponeses, onde muitos estavam desempregados e viviam de extrema miséria. Revoltados com a situação que estavam, decidiram se revoltar. Juntaram-se aos montes e foram as ruas para arrancar do governo a monarquia.
A Queda da Bastilha 14/07/1789:
O marco da revolução francesa, foi primeiro alvo dos revolucionários.
O lema dos revolucionários era “Liberdade, Igualdade e Fraternidade “, pois ele resumia muito bem os desejos do terceiro estado francês. Onde 95% da população pertencia ao terceiro estado.

Após esse conflito, muitos nobres decidiram abandonar o país. Até mesmo a família real tentou fugir do país, mas foram presos e tiveram a punição de pena de morte em 1793.

Um grande avanço, ocorreu quando a Assembleia Constituinte deflagrou os direitos feudais e impuseram a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Um grande passo para os avanços sociais.

Revolução Inglesa

Revolução Inglesa, ocorrida no século XVII, foi um dos principais acontecimentos da Idade Moderna. Foi considerada a primeira das grandes revoluções burguesas, isto é, as revoluções encabeçadas por lideranças da burguesia europeia, que havia se tornado expressivamente forte, do ponto de vista econômico, ao longo dos séculos XVI e XVII, e que precisava alcançar legitimidade política. Com o processo da revolução, a burguesia da Inglaterra, por meio de uma guerra civil e da atuação do Parlamento, conseguiu combater o Estado absolutista desse país e reformular a estrutura política, que culminaria na modelo da Monarquia Parlamentarista em 1688.

Confira no link abaixo um texto mais detalhado sobre a revolução inglesa http://www.culturabrasil.org/revolucaoinglesa.htm

Recomendo também a leitura do livro : As Revoluções Burguesas de Antonio Edmilson Martins Rodrigues

Paradigma

Paradigma é um modelo ou padrão a seguir.

Etimologicamente, este termo tem origem no grego paradeigma que significa modelo ou padrão, correspondendo a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido em determinada situação.

São as normas orientadoras de um grupo que estabelecem limites e que determinam como um indivíduo deve agir dentro desses limites.

Uma pequena demonstração da Revolução Burguesa, que afetou o Brasil

google.com.br/url   Um artigo escrito por Rodrigo Pereira Chagas que mostra um pouco da revolução burguesa que afetou o Brasil  e ele mostra isto por meio de um fichamento do livro  Florestan, a “revolução
burguesa” e a transformação
capitalista do Brasil  o Rodrigo Pereira Possui bacharelado e licenciatura em Ciências Sociais pela Fundação Santo André (2005), mestrado em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2011). Realiza doutoramento em Desenvolvimento Econômico no Instituto de Economia da UNICAMP. É professor assistente do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de Roraima. Tem experiência na área de Sociologia do Desenvolvimento, com ênfase em Sociologia Brasileira e Formação do Brasil Contemporâneo, atuando principalmente nos seguintes temas: Florestan Fernandes, ditadura militar, ideologia como função social, mudança social. É editor da Revista Textos&Debates e coordena o Programa de Extensão EduCARR: Educação, Cinema e Arte em Roraima.